Missão em Fukushima

18.10.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

O último final de semana foi muito especial para nós e para a IMeL Chiba, pois fomos com uma equipe de 14 pessoas, novamente para Fukushima (mais ou menos 4 horas de viagem de Chiba), conhecer e ajudar a igreja onde nossos queridos amigos Koki e Mari estão frequentando, como contamos nesse post. Ano passado fomos para conhecer e iniciar o contato e dessa vez fomos para servir e ajudar.

No sábado fizemos uma manhã de atividades com as crianças da igreja e de um youchien que pertence a um pessoa da igreja. Apesar de bem simples foi muito divertido. Depois ensinamos as crianças a fazer pastel, ou como eles chamaram, guioza do Brasil! Eles montaram e fecharam os pastéis enquanto os adultos fritavam e foi um sucesso, quase não sobrou nada!

À noite, toda a equipe foi em um onsen, onde pudemos aproveitar as águas termais e um delicioso jantar e nos preparar para o dia seguinte.

fukushima 2017

No domingo, participamos do culto onde o Rodolfo pregou com a tradução da Alessandra. E simultaneamente, nossos churrasqueiros preparavam deliciosas carnes (picanha, frango e linguiça) para todos, que como sempre fez muito sucesso, lembrando que dificilmente os japoneses fazem churrasco só com carne como no Brasil. Todos gostaram muito e sempre reforçavam o quanto estavam achando gostoso, especialmente o vinagrete, que ganhou o nome de Brazilian Sauce!

Para esse evento, a igreja de Fukushima distribuiu na cidade mais de 1000 folhetos anunciando a vinda dos brasileiros e o churrasco. Ficamos muito contentes em saber que haviam pessoas que estavam vindo pela primeira vez na igreja por estarmos ali.

Durante o almoço, tivemos uma apresentação de dança típica japonesa realizada por uma senhora da igreja e depois uma sessão de perguntas sobre o Brasil para nós. Ganhamos várias frutas e presentes dos irmãos de Fukushima. O que nos chamou muito a atenção foram as deliciosas uvas cultivadas e caprichosamente embaladas por um casal de membros da igreja que possuem uma plantação.

Porém, mais importante do que tudo isso, foi a amizade e carinho que pudermos dar e, ainda maior, que recebemos. Fomos com o intenção de doar, mas recebemos muito mais. Voltamos cheios de alegria e gratidão, e ver como Deus tem tocado e atuado na vida dos japoneses realmente aqueceu nosso coração.

Somos muito gratos a Igreja do Calvário Hokushin e ao casal Koki e Mari pelo convite. E também a todos da IMeL Chiba, tanto aos que foram e ajudaram muito e com muita disposição, como aos que ficaram e nos apoiaram em oração!

Espero que possamos ter outra oportunidade de servir àquela igreja.

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

5 diferenças entre a Vitória e a Nicole

11.10.17

Postado por Sandra

 

As duas são tão diferentes que às vezes se dão super bem, brincam por muito tempo juntas, e tem horas que só interferindo para acabar com o estapeamento. Possuem características distintas e personalidades únicas, cada uma cumprindo um papel diferente dentro da nossa família. Vejam 5 diferenças entre elas:

1. A Nini é da espécie grudentinha (ama um abraço e um beijo) e a Vivi é mais arisca e não gosta muito que encostem nela por isso quando quer dar um abraço, temos que aproveitar.

2. A Vivi é chorona e a Nini é mais durona. Por exemplo, no momento que batia a cabeça quando era bebê, ficava brava com o objeto e consigo mesma e saia andando. Já a Vitória fazia, ou melhor, faz o maior drama mesmo na menor das batidinhas.

vivi e nini

3. A Vivi sempre gostou de frutas e comidas saudáveis e exóticas. Tanto que ao ser perguntada se tinha gostado de uma festa de aniversário, respondeu toda frustrada: – Não tinha nada de gostoso, só bolo e brigadeiro… A Nicole, por sua vez, já é tranqueirenta, gosta de massas e nunca dispensa um doce.

4. O que a Vi tem de preguiça e ˝mão mole˝, a Nini tem de ˝mão nervosa˝ e dificilmente fica parada no mesmo lugar mais que dois minutos, e isso realmente é um problema na sala de aula! Por outro lado está sempre disposta a ajudar nas tarefas da casa, algo de que a Vivi sempre foge!

5. A Nicole é super engraçada, tanto que em várias situações em que estávamos dando bronca, tivemos que segurar o riso ou mudar de ambiente… A Vitória já é mais ˝modelo˝ e gosta de posar para fotos. Ela já foi modelo infantil no Brasil e até fez um comercial.

Amamos muito as duas, cada uma com seu jeitinho e somos muito gratos a Deus pelas filhas maravilhosas que Ele nos deu.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Setembro em 5 fotos

4.10.17

Postado por Sandra

 

setembro 5 fotos

Acompanhe um pouco do que aconteceu no mês de setembro através de 5 fotos!

1. N4 – A Sandra recebeu o resultado do Noryoku Shiken (prova de proficiência da língua japonesa) e ela passou! Agora estudar bastante para passar no N3 o ano que vem, principalmente os kanjis.

2. Aula no sábado e Bazar – De vez em quando vamos à escola assistir uma aula no sábado. Dessa vez foi um pouco diferente, teve o Bazar também, que tem várias coisas vendendo por um preço bem em conta. Tudo o que está à venda foi trazido pelos alunos e as crianças ficam super felizes por comprarem coisas por ¥30, ¥50 (mais ou menos R$ 1,00, R$ 1,50…). A Nicole fez vários artesanatos e vendeu vários produtos com os amiguinhos da sala.

3. Almoço e aniversariantes de setembro – No último domingo, na Chiba Church, comemoramos os aniversariantes do mês, Jacira e Jefferson, e comemos uma deliciosa feijoada e depois o bolo, brigadeiro e muitas outras coisas.

4. Undoukai Youchien – Sim, você não leu errado! A Nicole recebeu uma cartinha da escolinha infantil (youchien) para participar de uma corrida, junto com os pequenos. Encontrou os amiguinhos que estava com saudade e se divertiu bastante.

5. Matsuri – Já está virando tradição irmos com nossos amigos ao matsuri, uma festa equivalente a quermesse no Brasil, com apresentações de danças, paradas, barraquinhas de brincadeiras e muita comida gostosa.

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

[É melhor no Brasil] Sistema Bancário

27.09.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

Mais um vez, sabemos que esse post poderá causar algum tipo de polêmica, contudo queremos continuar nossa série sobre coisas que achamos melhor no Brasil do que no Japão, pois acreditamos que é mais saudável ter uma visão equilibrada sobre as coisas, sabendo reconhecer qualidades e defeitos em tudo ao nosso redor.

E uma dessas coisas é sem dúvida o sistema bancário. Apesar de termos convivido a maior parte da nossa vida com as dificuldades inerentes aos bancos no Brasil e com as taxas por vezes absurdas, foi um choque ao chegarmos aqui no Japão e nos depararmos com sistema e esquemas bancários bem ultrapassados se comparados com os do Brasil.

Apesar de toda a tecnologia do Japão, os bancos japoneses dão a impressão de terem parado nos anos 80 e 90! Para se ter uma ideia, para sabermos o extrato de nossa conta temos que ir até um caixa eletrônico e pedir para que seja impresso em uma caderneta! Quem é mais vivido como nós vai se lembrar das antigas cadernetas de poupança onde vinham impressos os valores e rendimentos. Pois bem é algo bem parecido com isso em pleno ano de 2017!

melhor brasil banco

Nos caixas eletrônicos é possível realizar as operações básicas de transferência, checar saldo etc. Já o extrato como falamos é só impresso na caderneta mesmo, pelo menos nos bancos que usamos aqui, sendo um deles o tradicional e gigantesco Japan Post Bank, o banco dos correios.

Sabemos que é possível acessar alguns bancos pela internet aqui, porém os sistemas e sites estão muito atrás do Brasil. E só agora temos visto propagandas de alguns bancos falando sobre acesso em celulares e outras plataformas móveis, como se fosse uma novidade.

Alguns amigos japoneses se espantaram em saber que nós acessávamos e controlamos tudo das nossas contas pelo celular mesmo estando no outro lado do mundo. Íamos somente ao caixa para sacar dinheiro, que ainda não é possível fazer virtualmente.

Também não é comum se usar o cartão do banco como cartão para pagamento em débito. Isso com certeza se deve ao fato do Japão ser um país muito seguro onde ainda se usa muito mais dinheiro vivo do que pagamentos eletrônicos. Com certeza a falta de segurança no Brasil impulsionou os bancos a criarem sistemas mais seguros e modernos para que não seja necessário andar com dinheiro vivo. Aqui não é incomum ver pessoas sacando o valor do salário inteiro e levando consigo. Algo inimaginável para nós brasileiros.

O atendimento nas agências segue o padrão japonês de muita educação e prestatividade, e sentimos falta daquele contato mais humano que temos às vezes com gerentes no Brasil, no entanto isso é uma questão mais cultural mesmo.

Um ponto super positivo é que não há taxas mensais e você paga somente por cada serviço que usar. Se não fizer nenhuma transferência ou saque em horários especiais, a princípio, não paga nada ao banco para deixar seu dinheiro lá.

Lembrando que essa é a nossa experiência como estrangeiros vivendo como classe média aqui. Talvez existam outros bancos e sistemas mais modernos porém de alguma forma não tivemos acesso. Porém conversando com pessoas que moram em outros países descobrimos que, de forma geral, o sistema bancário brasileiro é mesmo um dos mais modernos do mundo apesar das suas taxas muitas vezes abusivas.

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Saudade do Japão

20.09.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

Como já falamos várias vezes, nosso tempo no Brasil foi muito bom e gostoso contudo estávamos com vontade de voltar para casa, porque afinal como dizia Dorothy em O Mágico de Oz: “Não há lugar como nosso lar.” Temos que confessar que também estávamos com saudades de algumas coisas aqui do Japão que sentimos falta nesses 40 dias no Brasil.

E estamos falando novamente de comida aqui (rs!). Não é que não tenhamos aproveitado muito bem nesse sentido no Brasil, porém a comida é sem dúvida o ponto alto do Japão. Quanta coisa gostosa que a gente só encontra aqui e ainda estamos descobrindo novos sabores.

Outra saudade nosso era o trânsito calmo e ordeiro. Confesso que lutei bravamente para me manter calmo também no Brasil, sendo educado e paciente, no entanto nos últimos dias o trânsito maluco de São Paulo me venceu e quando percebi estava irritado, brigando e correndo novamente. Voltar às ruas tranquilas de Ichihara é quase como estar em um SPA automobilístico!

Algo que também sentimos falta foi da internet. Tanto a do celular como a de casa são muito rápidas e constantes e nada se compara ao que tivemos acesso no Brasil. Especialmente a internet móvel foi bem sofrida para nós. Aqui podemos ver vídeos e fazer downloads mesmo usando o 4G e dificilmente atingimos o limite.

Vai parecer estranho essa última parte, mas algo que estávamos com vontade de rever foram as privadas japonesas, especialmente a de locais públicos. Talvez só quem já veio e viu as famosas privadas hi-tech vai entender o quanto elas nos fazem falta. Existem lugares com banheiros ruins aqui também, todavia a regra é achar excelentes instalações especialmente em shoppings!

Agora estamos aproveitando tudo isso novamente com a certeza de que em breve sentiremos saudades de outras coisas que só tem no Brasil, porque afinal nenhum lugar é perfeito e o ideal seria mesmo juntar o melhor de cada país!

 

saudade do Japão

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus