Nem tudo são sakuras

16.09.14

Postado por Rodolfo Veronese

 

Quem tem nos acompanhado, seja pessoalmente ou aqui pelo blog, sabe o quanto estamos animados e empolgados com o projeto, ainda mais faltando poucos meses para partirmos.
Apesar desses sentimentos serem verdadeiros, nem tudo são sakuras ou… flores! Como pessoas normais temos nossos medos e preocupações. O Japão é um país maravilhoso, cheio de cultura, tecnologia e história mas também tem seus problemas e, mesmo que não se leve isso em consideração, o simples fato de sairmos da zona de conforto é algo mais difícil do que muitas vezes imaginamos.

De todas as preocupações, talvez a maior delas seja a adaptação da Vitória e da Nicole. Apesar de saber que crianças são pequenas “esponjas” e absorvem tudo e que muito provavelmente elas sentirão menos essa mudança, é difícil para nós como pais sabermos do possível sofrimento dos filhos. E olha que nós procuramos não sermos muito moles na educação delas e sabemos que alguns sofrimentos fazem parte da vida e ajudam a crescer e amadurecer. Mesmo assim, ficamos com a “pulga atrás da orelha”: como será na escola? Será que aprenderão o japonês logo? Será que sofrerão bullying? Será que a escola infantil vai ter estrutura forte o suficiente e não ser destruída pela Ninizilla… digo, Nicole? Será que elas perderão o português depois de um tempo?  A maioria das respostas a essas perguntas tem uma probabilidade maior para o lado bom, mas a parte que pode ser ruim deixa qualquer pai e mãe preocupados.

Nem tudo são sakuras

Temos nos esforçado em conversar bastante com elas sobre tudo isso, sobre a mudança e deixando espaço para que possam falar sobre o que sentem.
Outro dia conversando com a Vitória, comentei que tinha um pouco de medo de ir para o Japão. Ela então me disse: – Eu também, pai. – E do que você tem medo, filha?, perguntei. – Dos amigos não conversarem comigo, respondeu. Fiquei meio sem resposta e quieto e então ela completou: – Mas temos que nos esforçar, né? Se por um lado fiquei com o coração apertado pela preocupação dela, por outro achei ótimo que ela se sentiu à vontade para falar do seus sentimentos. Acreditamos que esse seja o segredo, além da nossa confiança em Deus, é claro, para vencermos juntos como família qualquer dificuldade que venhamos a ter.

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 6

6 respostas para “Nem tudo são sakuras”

  1. Cintia disse:

    Gambatte!! Vai dar tudo certo 😀 Curti a resposta da Vivi!!!

  2. Tati disse:

    Oie! Que legal você compartilhar essas reflexões, amigo! E que bom ver que vocês são uma família em que a expressão dos sentimentos é prioridade, assim como o acolhimento e a conversa amiga e carinhosa… tanto que a Vivi se sente à vontade, como você disse, para expor seus anseios, né? Nâo dá pra prever muito o que irá acontecer, mas seja o que for, tenho certeza que o amor e acolhimento de vocês como pais irá garantir que seja sempre uma experiência rica!! ^_^

  3. Milena disse:

    Deus está no controle, tudo vai dar certo!
    Bjs

Deixe uma resposta

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus