Em busca de um novo local

29.04.15

Postado por Rodolfo Veronese

 

As mudanças sempre foram uma constante na IMeL Chiba: localização, lugar ou número de membros. Essa situação não mudou, ou melhor, iremos nos mudar!

Como o trabalho é ainda composto por brasileiros, as crises econômicas do Japão tem impacto direto na permanência dos membros ou não. Essa variação de membresia e consequentemente financeira, fez com que a igreja se mudasse diversas vezes ao longo dos anos.

Desde 2013 a igreja estava alugando um local que cobrava por hora e só usávamos aos domingos. Como os membros moram longe uns dos outros de forma geral, não faz muito sentido alugarmos um local por mês que não será usado durante a semana. Esse local era muito bom, com boa estrutura e até uma cozinha. Apesar de não ser perto de nenhuma estação de trem, já estávamos usando por pelo menos 2 anos, mas a empresa que aluga para nós saiu do prédio essa semana e ficamos sem esse local.

Em busca de um novo local

Começamos a correr atrás de locais novos, mas achar algum lugar que alugue por hora, caiba as pessoas e no nosso orçamento, possa tocar música, não seja no fim do mundo, permita grupos religiosos e seja resistente à “Ninizilla” (apelido carinhoso da nossa caçula, Nicole + Godzilla) não é tão fácil.

Nem todo lugar aceita que se realize atividades religiosas. Não por uma questão de intolerância religiosa, mas por não entender direito o que é uma igreja. Com apenas 2% da população cristã, é normal terem receio de grupos religiosos que não conhecem.

Apesar disso, é fácil achar lugares ótimos desde que você tenha dinheiro para pagar. Essa era nossa outra dificuldade, pois a igreja é pequena e possui uma capacidade financeira pequena também.

Achamos um local que iremos testar esse próximo domingo (03/05), dentro do Shopping ao lado da estação de trem. Algo bem inusitado. E além deste, testaremos um outro local que é na verdade para aulas e apresentações de música e que foram muito simpáticos e receptivos conosco.

Estamos tranquilos e confiantes em Deus, mas não ter um lugar certo para se reunir é uma experiência nova depois de tantos anos na IMeL Diadema com seu terreno e estrutura próprios.

Faz um tempo que já pensávamos em achar um local de mais fácil acesso e estamos encarando essa “crise” como uma oportunidade que Deus está nos dando. Até mesmo porque igreja são as pessoas e mesmo que não tenhamos nenhum lugar físico, continuaremos sendo igreja.

Por favor, ore para que achemos o lugar ideal para continuarmos o trabalho da IMeL Chiba!

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Meu trabalho aqui no Japão

22.04.15

Postado por Sandra

 

Eu, Sandra, formei-me em Desenho Industrial pela FAAP, mas antes havia feito Artes Gráficas no SENAI. Com já tinha dito no post Reflexão aos 38, eu sempre gostei da área de design gráfico e comecei a trabalhar muito cedo em agências, com 18 anos.

Trabalhei por mais de 17 anos em uma agência em São Bernardo do Campo, a Simpllex Comunicação. Foi um tempo de muito aprendizado e crescimento e agradeço por todos esses anos de parceria e cumplicidade.

Para minha surpresa, logo ao comprar o meu notebook aqui, conversei com o pessoal da agência e tenho trabalhado no esquema home office com eles! O bom do fuso horário é que trabalho na madrugada do Brasil e posso ir adiantando alguma coisa urgente, caso necessário.

meu trabalho

Tenho também outros trabalhos paralelos, e a indicação de uma amiga me possibilitou trabalhar para uma agência daqui do Japão, também no esquema home office. É uma agência que trabalha para empresas com público brasileiro, em português. Facilita muito, pois ainda não comecei minhas aulas de japonês e estou conversando bem “Tarzan” com os japoneses.

Fico muito feliz em desenvolver todos esses trabalhos aqui, porque a vida de dona de casa não é algo para a qual tenho vocação, admiro realmente quem tem! Tenho só que elaborar melhor minha rotina, pois como a Nicole ainda está começando na escolinha, fico trabalhando conforme a demanda, nos horários livres.

No início da minha carreira, perguntava a mim mesma se essa profissão iria ajudar as pessoas, pois na minha cabeça algo como medicina ou área da saúde seria mais útil às pessoas em países necessitados como o Timor Leste (mas obviamente não tenho esse talento). Hoje entendo que poder trabalhar em casa possibilita conciliar minha vida missionária e a minha profissão. Agradeço muito à Deus por ter direcionado minha vida profissional no passado, fazendo com certeza toda a diferença nos dias de hoje.

Link do meu portfolio online: sandrahveronese.myportfolio.com

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 8

Nicole no youchien

15.04.15

Postado por Sandra

 

Youchien aqui no Japão equivale à educação infantil no Brasil.

A pequena Nicole, nossa caçula, começou na escolinha na última quinta-feira. Para o primeiro dia de aula, há um evento de apresentação dos novos alunos chamado Nyuenshiki. Os alunos mais velhos dão boas vindas aos menores e cantam algumas músicas. Tudo isso acompanhado pelos pais dos novos alunos.

A escola fica toda decorada para esse primeiro dia, um desenho mais fofo que o outro! Esse evento é bem tradicional e formal, motivo pelo qual eu e o Rodolfo tivemos de ir com roupa social, para infelicidade do Rodolfo, que não gosta nem um pouco de terno, gravata e sapato!

O ano letivo começa em abril, por isso a Nicole não estava frequentando a escola antes. E passamos fevereiro e março pesquisando em qual youchien ela estudaria. Essa é uma escola pública, que fica próximo à prefeitura aqui de Ichihara. Estamos levando ainda de ônibus, até conseguirmos comprar nosso carro.

Sua sala tem 21 alunos, 10 meninas e 11 meninos e, para minha alegria e tranquilidade, tem outras crianças mais agitadas e falantes que a Nini. Quem conhece sabe o quanto ela é agitada, falante e mão nervosa (boca nervosa também) e esses fatores realmente me preocupavam para o padrão do Japão. A divisão é feita por animais, e a salinha da Nicole é a panda. A outra sala com a mesma faixa etária é a da girafa (kirin em japonês). Vamos ver quanto tempo ela vai demorar para se soltar!

nicole youchien

Estávamos um pouco preocupados com a nossa pequena, mas esse receio foi se dissipando aos poucos na quinta e na sexta. A professora e a coordenadora receberam a Nicole super bem e no segundo dia logo na entrada a coordenadora soltou um “Bom dia”! Vimos o quanto eles estão preocupados em inseri-la no grupo.

A escolinha é super organizada, tem horários rígidos para levar e buscar: se você vem a pé, é um horário, se vier de carro, é outro. Tudo para não tumultuar a entrada e dar fluidez.

Modéstia à parte, a Nini ficou uma fofura com o uniforme, o chapéu e a mochilinha. Bem kawaii mesmo (bonitinha). Nosso lado de pais babões aflorou nesses dias!

Mais uma vez agradecemos todo o apoio e orações pelo youchien, sabemos que isso fez toda a diferença, tanto na escola quanto na Nicole!

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 6

Sakura

8.04.15

Postado por Rodolfo Veronese

 

Confesso que não sou um admirador de flores e por isso achava meio exagerado todo o frisson em cima das sakuras aqui no Japão. Tinha uma parcela de certeza que ia me decepcionar quando visse, porque não conseguia ver qual era a graça de flores caindo.

Mas eu estava muito enganado! O florescer e cair das flores da sakura é algo estranhamente fascinante e de uma simbologia muito forte.

A sakura é o nome da cerejeira em flor no Japão, e no Brasil conhecemos bem suas frutas e sua madeira clara usada nos móveis.

Além da beleza das árvores e flores, o período ajuda muito (como dissemos neste post aqui), as estações do ano aqui são bem definidas e a semana da florada das sakuras acontece quando já é possível perceber a mudança de temperatura da primavera. Depois de três meses de muito frio, que torna qualquer saída de casa difícil (apesar de eu gostar do frio) e portanto um tanto depressivo, a primavera chega mudando isso e tornando os dias bem mais agradáveis para sair e passear, e o símbolo maior dessa mudança é exatamente a chegada das sakuras.

O período entre o florescer e o cair das flores é de apenas uma semana o que acrescenta ainda mais beleza ao evento.

sakura

Clique na imagem para assistir

Por isso, a sakura ocupa um papel importante na arte e poesia japonesa. Principalmente pelo simbolismo do conceito mono no aware, algo como “saudade da beleza que passa”. Sendo usada como brasão de famílias até em pinturas nos aviões dos kamikazes. Hoje ela ainda tem um simbolismo forte, até o McDonald’s vende um milk shake de sakura nessa época.

Os parques se enchem de famílias e grupos de amigos realizando piqueniques ao redor das ávores. Em alguns lugares mais famosos só é possível se alocar mediante reserva. Essa também é a temporada mais alta de turismo no Japão.

Tivemos a sorte de estar em Ueno na semana da florada em Tóquio. Na verdade, fomos ao zoológico com as meninas mas na saída apreciamos um pouco da beleza das sakuras e finalmente entender todo o seu encanto.

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 4

Culto de Páscoa e Hanami

1.04.15

Postado por Sandra

 

O inverno definitivamente acabou e já começou a estação mais esperada do ano, a primavera. Pelo menos para quem não tem alergia ao pólen, que afeta muita gente por aqui!

E é um costume dos japoneses irem fazer piqueniques com a família nos parques para ver as tão famosas Sakuras florescendo, o chamado Hanami. Aproveitamos a deixa e realizamos nosso culto de Páscoa ao ar livre em um parque aqui perto.

Foi muito bom, com um dia bonito e muita diversão. Fizemos um culto com louvor e mensagem. Enquanto isso as crianças tiveram uma mensagem e atividade muito divertidas preparadas pelo casal Nowada! Os anos de experiência no Paraguai foram bem utilizados aqui. Estava bem cheio, com muitos amigos nos visitando e até algumas pessoas novas.

Depois de encerradas as atividades, partimos para o tradicional “motiyori” e comemos várias coisas gostosas que todos trouxeram. Para queimar as calorias tinha bola, frisbee, pega-pega, pipa e até uma pescaria improvisada.

Resumindo, um dia muito gostoso e divertido! Esperamos poder realizar mais vezes e que venha cada vez mais gente.

Culto Páscoa Hanami

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus