Nosso dia a dia

27.05.15

Postado por Sandra

 

Esse vídeo fizemos em fevereiro, e foi mostrado na IMeL Diadema na época.

Tínhamos que editar esse vídeo para não aparecer a placa do carro, e só agora tivemos condições de fazer isso.

Como já faz um tempo, mais de 3 meses, muita coisa mudou, principalmente o clima. Estava bem frio, pleno inverno, que dá para ver nas nossas roupas. Agora estamos na primavera e o tempo está bem mais quente, por volta de 23ºC. E também agora já tiramos nossa carta de motorista, compramos o carro e os móveis que faltavam – não precisamos mais dormir no chão.

Olhando esses meses que passaram, só temos que agradecer mesmo a Deus por tudo que passou. Temos experimentado o Seu cuidado em cada detalhe, e agradecemos por toda oração feita por nós, realmente fez e faz toda a diferença.

 

dia a dia

Clique na imagem para assistir

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

Undoukai

20.05.15

Postado por Rodolfo Veronese

 

Nesse último fim de semana (17/05), participamos do Undoukai da escola da Vitória, em um dia quente e muito divertido com novos amigos. Mais uma vez, ficamos impressionados com a organização dos japoneses. O Undoukai já era um evento conhecido por nós, pois tanto a escola da Vitória no Brasil quanto a IMeL Diadema realizavam anualmente esse evento. Mas para muitos que nos acompanham, esse evento é algo desconhecido e vamos explicar um pouco.

undoukai

O significado de Undoukai (運動会) é literalmente “encontro de atividades físicas” que pode ser traduzido como gincana. Surgiu no século XIX, no início da Era Meiji (1868-1912), sendo que o nome foi usado pela primeira vez em uma atividade realizada pela Universidade de Tóquio em 1885. Porém, foi o governo japonês dos anos 30, de forte característica militar que o tornou uma atividade constante, pois visavam preparar fisicamente as crianças para se tornarem soldados e também eram usados para promover a ideologia da época. O tempo passou, a guerra acabou, mas o Undoukai havia se tornado parte da vida e cultura japonesa.

A popularidade do Undoukai no Japão é alta e é um dos maiores eventos realizados pelas escolas aqui. No Brasil já foi mais forte e constante, mas vem diminuindo com o tempo devido, entre outros fatores, a uma perda de identidade cultural por parte das gerações mais novas dos imigrantes japoneses. O que é uma pena, pois é um evento que promove muitas coisas boas.

A programação do Undoukai é de diversas atividades físicas de competição como corridas, cabo de guerra, etc. entre os alunos que são divididos em times de cores diferentes. No caso da escola da Vi, eram 4 times nas cores: azul, vermelha, amarela e branca. A torcida e animação também conta na pontuação. Além disso, existem as apresentações de dança e ginástica dos alunos. Apesar da maior parte do tempo apenas os alunos participarem o Undoukai, é um evento de família onde é possível ver muitos avós e tios prestigiando. A escola da Vitória tem mais de 900 alunos e nesse dia ainda estavam todos os pais e parentes, então dá pra ter uma ideia do tamanho da festa.

Este é um dos aspectos que admiramos na cultura japonesa, o cuidado com a saúde e o corpo. Desde cedo as crianças são incentivadas a participar de atividades físicas e a terem uma alimentação saudável.

Para nós foi um dia de aprender mais sobre a cultura e nos divertir bastante mas também para ver como a Vitória tem se integrado bem com os amigos e “se virado” com o japonês! O time dela não ganhou dessa vez, mas ano que vem estaremos lá reforçando a torcida!

Segue o vídeo que fizemos:

undoukai vídeo

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 4

Dia das mães

13.05.15

Postado por Sandra

 

Esse foi um dia das mães diferente porque passamos longe, bem longe, das nossas mães. Como tínhamos o hábito de sempre nos encontrar nessas datas, a saudade bateu mais forte.

Agora, morando aqui no Japão, lembramos delas o tempo todo, e não só uma questão de sentir falta, o que é bem óbvio, mas vemos o quanto reproduzimos tudo o que aprendemos. É bem irônico que as “frases de mãe” que nos irritavam muito na infância são agora ditas regularmente por nós mesmos: “Não perguntei se você gosta, come tudo que tem aí” ou “A gente faz que faz e é isso que recebe em troca.” Não importa o quanto a gente tente negar, a verdade é que temos muito da nossa família. Tudo aquilo que aprendemos fica marcado e é reproduzido.

E não apenas as broncas e os trejeitos, mas também o bom exemplo, a honestidade, o esforço e a persistência que aprendemos. Até na cozinha, como agora a Sandra está tendo que cozinhar diariamente (já foi dito nesse post), os ensinamentos da mãe sobre como picar, temperar, ordem de cozimento etc. têm feito muita diferença. E até hoje recorre à ela perguntando rapidinho no WhatsApp e torcendo para que a socorra nesse momento.

O Rodolfo agradece e reconhece a paciência que sua mãe teve, toda vez que tem que lidar com o agito da Nicole, já que ele mesmo não era muito diferente quando criança. E mesmo agora somos muito gratos pela sua ajuda com as pendências administrativas no Brasil.

Queremos deixar registrado nesse post, em homenagem ao dia das mães (10/05/15), o nosso agradecimento eterno às elas: D. Haruko, mãe da Sandra e D. Neusa, mãe do Rodolfo.

Sem vocês não estaríamos aqui nem teríamos experiência em sermos família. Agradecemos a Deus por suas vidas e oramos para que possamos ser exemplos para as nossas filhas como vocês são para nós.

母の日をおめでとうございました!

Dia das Mães

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

Japão: uma nação feliz?

6.05.15

Postado por Rodolfo Veronese

 

Essa semana saiu uma lista da ONU divulgando um ranking dos países mais felizes do mundo, onde foram avaliados vários aspectos como PIB, qualidade de vida etc. (Veja aqui).

Em primeiro lugar ficou a Suíça e, por incrível que pareça, o Brasil ficou em 16º enquanto o Japão em 46º (veja a lista completa dos países nesse link, na página 26). Sim, isso mesmo: aparentemente é mais feliz quem mora no Brasil do que aqui no Japão.

 

Japão ONU

E talvez seja isso mesmo. Já falamos algumas vezes que apesar de tudo aqui funcionar bem e pontualmente, da honestidade e educação das pessoas, tudo isso tem um preço alto. De um lado temos trens que funcionam como um relógio, por outro a vida de um pontual condutor de trem é muito estressante.

Lemos notícias do governo japonês fazendo projetos de leis que obriguem os trabalhadores a terem folga de verdade. Algo do tipo ser multado por aparecer no trabalho em dia de folga. E essa situação não faz o menor sentido para qualquer brasileiro.

O Japão vive um problema social terrível por conta disso, com um alto número de suicídios. Fora o impacto nas famílias que tem se desestruturado por esse excesso de trabalho. Não é incomum encontrar pessoas que não tem bom relacionamento ou mesmo nenhum relacionamento com a figura paterna.

Não estamos dizendo de forma alguma que não é bom viver aqui, porém toda moeda tem dois lados e é importante ver sempre o todo para não se iludir. Ter uma boa vida com serviços de qualidade de primeiro mundo não é garantia de felicidade.

Nosso desejo é que, para alguns e de alguma forma, possamos levar alegria e esperança a esse povo que estamos aprendendo a amar cada dia mais.

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus