Casa limpa X País seguro

22.02.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

Casa limpa X País seguro

 

Certa vez li um artigo muito bom onde um brasileiro, residente na Holanda, comenta sobre a relação entre se lavar o próprio banheiro e poder abrir um Mac Book no ônibus. Um título no mínimo inusitado e que me chamou a atenção, e que me fez refletir um pouco sobre alguns conceitos e cultura que temos no Brasil ainda mais que estávamos prestes a nos mudar para o Japão. Recomendo a leitura do artigo nesse link. Resumidamente, ele defende que a violência é fruto da desigualdade social como vemos no parágrafo abaixo:

O curioso é que aqueles brasileiros que queixam-se amargamente de limpar o próprio banheiro, elogiam incansavelmente a possibilidade de andar à noite sem medo pelas ruas, sem enxergar a relação entre as duas coisas. Violência social não é fruto de pobreza. Violência social é fruto de desigualdade social. A sociedade holandesa é relativamente pacífica não porque é rica, não porque é “primeiro mundo”, não porque os holandeses tenham alguma superioridade moral, cultural ou genética sobre os brasileiros, mas porque a sociedade deles tem pouca desigualdade. Há uma relação direta entre a classe média holandesa limpar seu próprio banheiro e poder abrir um Mac Book de 1400 euros no ônibus sem medo.

Aqui no Japão é um pouco diferente do que ele descreve no texto sobre a Holanda, existe sim uma hierarquia social bem clara e rígida mas que não se reflete na situação socioeconômica da população. De forma geral as pessoas recebem salários decentes mesmo pelos trabalhos tido, especialmente por nós brasileiros, como sendo de menos prestígio. Por isso alguns serviços são bem caros comparados ao que estávamos acostumados no Brasil! E um deles é o de empregada doméstica ou faxineira. Não que não exista, contudo o empregador precisa ser muito rico para poder pagar um salário digno para quem for trabalhar para ele.

Apesar de já sabermos que seria assim, confesso que não foi tão fácil, reconhecer, questionar e mudar um conceito que tínhamos de que é necessário ter uma pessoa que faça a limpeza da sua casa para você. No começo foi meio penoso e fazíamos algumas coisas reclamando e pensando como seria bom ter uma faxineira. Com tempo fomos nos acostumando e vendo como não é assim tão complicado. Aqui, os produtos de limpeza são excelentes e práticos, as próprias casas e móveis são feitas de forma a ser muito fácil limpar e até mesmo a sociedade é estruturada para isso. O costume de tirar o sapato, por exemplo, faz muita diferença no dia a dia. As crianças também são ensinadas desde cedo a fazer parte das tarefas domésticas e tem aulas sobre isso e ajudam na limpeza da própria escola.

Após esses dois anos experimentando uma segurança impressionante nas ruas do Japão, na verdade quase inacreditável para quem veio do Brasil, concordo ainda mais com o texto que  prefiro limpar meu próprio banheiro do que ter que andar com vidro fechado e tenso em todo semáforo que paro. Também aprendemos a desencanar de algumas coisas com relação aos serviços domésticos, a valorizar alguns que são realmente chatos e penosos, e principalmente que é possível adequar isso à nossa rotina sem maiores estresses.

Sempre falamos entre nós que caso se voltarmos ao Brasil vamos manter aquilo que aprendemos aqui, a tirar os sapatos antes de entrar em casa e não ter mais faxineira.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Deixe uma resposta

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus