Matando a saudade do Brasil

16.08.17

Postado por Sandra

 

É bem óbvio que o que mais temos saudades do Brasil são nossos amigos e parentes e estar com eles aqui esses dias nos deixa muito felizes, mas há outras coisas mais simples que estamos matando a saudade nesses dias. Vamos listar as 5 coisas que mais temos saudade quando estamos no Japão. Sabemos que a maioria é possível de ser encontrada por lá em lojas de produtos brasileiros, porém onde moramos essas lojas não existem pois não há uma concentração tão grande de brasileiros. Ok, vamos admitir a maioria é comida mesmo… rs!

1. Pão francês – Existem padarias e pães maravilhosas no Japão mas que falta faz aquele pão francês quentinho que alguém buscou na padaria.

2. Requeijão – Apesar de termos aprendido a fazer um requeijão caseiro bem gostoso, comer aquele requeijão de copo com o pão francês citado acima é algo que sentimos muita falta e estamos matando bastante a saudade todas as manhãs aqui.

3. Pizza – Somos paulistas e portanto para nós não existe pizza melhor do que em qualquer outro lugar do mundo. No Japão só temos as redes americanas de pizza com sua massa grossa e porosa e sabores estranhos como maionese com batata. Como é bom comer uma portuguesa ou 4 queijos em uma massa fininha e crocante na medida como só os fornos a lenha de Sampa sabem fazer.

matando a saudade do brasil

4. Suco de laranja espremido na hora – Aquele meio azedinho só com um gelinho, refrescante, cítrico e docinho ao mesmo tempo. Esse não existem no Japão em lugar algum, pelo menos não que nós conhecemos, e se existir vai ser uma fortuna com certeza. Suco de laranja lá só de caixinha. Que triste!

5. Entender e sermos entendidos – É até engraçado a sensação de apreensão que ainda sentimos quando vamos em alguma loja aqui para perguntar alguma informação e que se vai logo que pessoa responde tudo em português.

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
Tags:
comente 0

Julho em 5 fotos

2.08.17

Postado por Sandra

 

julho em 5 fotos

Acompanhe um pouco do que aconteceu no mês de julho através de 5 fotos!

1. Noryoku Shiken – A Sandra fez a prova de proficiência para o N4. O Rodolfo fez em dezembro do ano passado, e agora eles vão se preparar para o N3 – pelo menos o livro de estudo para esse nível já compramos!

2. Chegada ao Brasil – Depois de um tempo se preparando, finalmente chegou a hora da viagem! Foram quase 30 horas de vôo, mas graças a Deus tudo deu certo com as malas, a conexão e tudo o mais. Agora é aproveitar a família, os amigos e é claro, a comida!

3. Reencontro com a família – A Sandra e a Vitória estavam há 2 anos e meio sem ver a família aqui do Brasil e o reencontro foi emocionante. O Rodolfo e a Nicole vieram o ano passado, mas mesmo assim a saudade era grande.

4. Visita às igrejas – Todos os domingos que estivermos aqui visitaremos as igrejas e a primeira foi a igreja que tem nos apoiado e sustentado em oração: a IMeL Diadema. Somos muitíssimos gratos por tudo até aqui e esperamos continuar juntos nessa missão.

5. Vitória na EBF – A EBF (Escola Bíblica de Férias) da IMeL Diadema aconteceu no fim de julho e deu para a Vitória participar. A Sandra e o Rodolfo participaram de muitos acampamentos e sabem da importância que isso teve para o crescimento espiritual deles. A Vitória voltou muito feliz, contando toda animada o assunto das palestras, as músicas que cantou e as amizades que fez.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Como é estar de volta

26.07.17

Postado por Sandra

 

Finalmente no Brasil!

Estar de volta, depois de 2 anos e meio morando no Japão, é uma alegria imensa. Principalmente reencontrar aqueles que fazem parte da nossa vida: nossa família, amigos e a igreja que tem nos apoiado todo esse tempo, a IMeL Diadema. O Rodolfo e a Nicole vieram ano passado, como foi falado neste post. Mas para a Sandra e a Vitória é a primeira vez.

Ainda estou assimilando o misto de todos os sentimentos: alegria, ansiedade, euforia, pois chegamos há menos de uma semana aqui no Brasil. Mas uma coisa já matamos a vontade: comer o pão francês fresquinho com requeijão e mortadela e muitas frutas. E muitas coisas gostosas já comemos apesar de tão pouco tempo!

Se de um lado parece que nunca saí do Brasil (algumas ruas, prédios, pessoas estão exatamente como há 2 anos e meio atrás), por outro lado, tem algumas coisas novas que ainda estou me familiarizando.

O mais recompensador, até agora, foi o reencontro com nossa família e conhecer minha sobrinha. Fui encontrá-la na sua festinha de 2 anos, e ela ficou um pouco tímida ao me ver. Mas no dia seguinte nos encontramos novamente e também no outro dia e já parecia que éramos como velhas conhecidas na sua longa vida de dois anos. E os abraços dos amigos nesses reencontros têm aquecido grandemente nossos corações.

Sempre dizemos que a vida no Japão é muito solitária e sentimos muito falta desse calor humano. E iremos aproveitar isso nesse tempo que estivermos por aqui.

 

Brasil - como é estar de volta

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Yokohama – Museu da Imigração

19.07.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

No final do mês passado, em junho, visitamos a cidade de Yokohama que fica do outro lado da Baía de Tóquio, algo que já estávamos planejando desde que chegamos aqui no Japão. Yokohama é uma cidade muito bonita e com muitas coisas interessantes e bonitas para se ver. Eu já havia visitado em uma viagem anterior mas a Sandra e as meninas não conheciam. No entanto algo que me chamou a atenção desde quando fui pela primeira vez: O Museu da Imigração Japonesa. Um museu que mostra e conta a história dos japoneses que se espalharam pelo mundo no início do século passado.

Com muitas histórias e situações interessantes registradas ali e que nos identificamos pois de alguma forma nossa história e até mesmo nossa estada aqui no Japão tem a ver com tudo isso.

O Brasil foi, de longe, o destino do maior grupo de imigrantes japoneses com 1.500.000 pessoas tendo imigrado para terras brasileiras, seguido pelos Estados Unidos com 1.000.000. Algo que me chamou a atenção foi saber que navios com imigrantes ainda estavam chegando na década de 70!

Ver, descobrir e se identificar com algumas coisas foi bem interessante. Especialmente a “mesa de casa de Batchan (avó em japonês)” reproduzido ali. Um banquete onde se mistura feijoada e sashimi, churrasco e inarizushi: bem típico e reconhecível por qualquer nikkei do Brasil!

 

yokohama

 

Aproveitamos o dia para rever e despedir dos nossos amigos Fábio, Johnna e as filhas Sophia e Alice (falamos deles nesse post) que estão terminando o tempo aqui no Japão e retornando aos EUA e depois encarando novos projetos. Somos muito gratos pela amizade deles e oramos desejando as mais ricas bençãos de Deus nessa nova etapa do ministério.

Ao anoitecer, fomos na famosa Roda Gigante chamada de Cosmic Clock e curtimos a linda paisagem lá de cima.

Yokohama é realmente muito agradável e esperamos poder visitá-la mais vezes já que é tão pertinho. Bom, pelo menos pela Aqualine, uma estrada que passa embaixo do leito da Baía, que já havíamos citado nesse post aqui, que falamos sobre a província de Chiba.

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Contagem regressiva!

12.07.17

Postado por Sandra

 

De todas as dificuldades que passamos aqui no Japão, talvez a mais difícil tenha sido a saudade da família e dos amigos. Apesar de termos recebido algumas pessoas aqui em casa, e do Rodolfo e a Nicole terem ido ano passado ao Brasil, como família são quase 3 anos longe de pessoas que são muito importantes para nós. Finalmente chegou o momento de acabarmos com essa saudade, bom, pelo menos por um período.

Sim, estamos indo ao Brasil e dessa vez com a família toda! Era algo que já estava programado em nosso planejamento do projeto e estamos muito contentes e ansiosos de poder rever nossa família, amigos e nossa nação. Ficaremos durante o período de férias escolares das meninas aqui no Japão, que vai dar uns 40 dias. Gostaríamos de poder ficar mais, no entanto não podemos prejudicar o estudo delas, que recomeça em setembro.

Parece muito tempo mas, para fazermos tudo e revermos todo mundo é muito pouco, já estamos com a agenda praticamente lotada e infelizmente não conseguiremos encontrar todos que gostaríamos.

E como nosso blog é público, por razões de segurança não estaremos divulgando as datas exatas abertamente aqui. Caso queira nos perguntar algo por mensagem privada, fique à vontade. Agradecemos a compreensão!

Mais um pouco e poderemos matar a saudade de tantas pessoas e coisas (especialmente comidas) que amamos e que ficaram no Brasil. Uhuuu!!

contagem regressiva

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus