Vitória: líder do grupo

19.04.17

Postado por Sandra

 

Uma coisa muito interessante do Japão é o fato das crianças desde o 1º ano do ensino fundamental irem e voltarem sozinhas da escola. Algo praticamente impossível de se imaginar com nossa mentalidade brasileira.

E mesmo aqui seria algo perigoso, mas descobrimos que existe um sistema muito interessante de amadurecimento da criança nesse quesito. Como a Vitória entrou direto no 3º ano quando chegamos, pulamos algumas dessas fases e estamos descobrindo agora com os primeiros passos da Nicole no ensino fundamental.

Na ida, as crianças dificilmente vão sozinhas, na verdade existem grupos determinados em cada região que reúne as crianças que moram perto. O grupo tem uma ordem e hierarquia a ser seguida para a segurança. Todo grupo tem um líder e um vice-líder, papel que é atribuído aos mais velhos normalmente do 5º e/ou 6º que vão à frente e no fim da fila, tomando conta do grupo, ditando o ritmo e alertando os pequenos sobre perigos e ajudando a atravessar as ruas. As crianças novas do 1º ao 3º ano vão no meio da fila, sempre com os mais velhos sendo responsáveis pelos mais novos. O líder do grupo também tem a tarefa de receber os papéis de avisos de falta do aluno e entregar para os respectivos professores. No caso dos pequenos, nas primeiras semanas os pais acompanham as crianças até o ponto de encontro do grupo para conhecer o líder, mas com o tempo elas irão sozinhas em todo o trajeto.

E nesse ano, apesar de ainda ser do 5º ano, coube à Vitória a função de líder do grupo, o qual ela tem exercido com muito empenho. Como a Nicole ficou no mesmo grupo, por razões óbvias temos visto mais de perto o desempenho da Vivi como líder e ficamos muito orgulhosos de ver como ela cumpre direitinho seu papel. Saber que a irmã está junto e ser a responsável nos deu muita segurança sobre a Nicole ir até a escola por conta própria.

Podemos estar sendo pais coruja, contudo é muito gratificante ver seus filhos amadurecerem e superarem desafios. Se lembrarmos que há pouco mais de 2 anos nenhuma das duas sabia nenhuma palavra em japonês é algo bem impressionante. Também ficamos admirado como as coisas são bem pensadas aqui no Japão e a preocupação em tornar as crianças responsáveis, maduras e terem zelo uns pelos outros.

Talvez esteja aí o segredo de toda educação e consciência do bem estar coletivo que encontramos aqui.

 

vivi hancho

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

Março em 5 fotos

5.04.17

Postado por Sandra

 

Março em 5 fotos

Acompanhe um pouco do que aconteceu no mês de março através de 5 fotos!

1. Festa de aniversário da Nicole em casa - Como no ano passado (link), fizemos novamente a festinha da Nicole em casa com os amiguinhos do youchien. A comida foi toda brasileira, com pão de queijo, coxinha, pastel, bolinha de queijo, gelatina, brigadeiro e beijinho. Todos comeram bastante e se divertiram, e a Nini não poderia estar mais contente. Quando a Sandra perguntou o que ela mais gostou, rapidamente disse: ˝Tudo!˝.

2. Chiba Church, aula de pastel - Nossa primeira aula de culinária na igreja foi pastel. Tiveram 7 convidados e todos aprenderam a montar o pastel com os recheios sugeridos, fritar e claro, comer! O vinagrete sempre faz sucesso entre os japoneses. Foi uma experiência muito gostosa, literalmente, e esperamos repetir com outros cardápios.

3. Fim das aulas de japonês - A Sandra terminou o segundo módulo do japonês e já vai começar o terceiro, no curso da prefeitura de Ichihara. Esse curso tem sido muito importante para o desenvolvimento da língua japonesa, e complementa o estudo diário dos kanjis (ideogramas) que ela tem feito em casa.

4. Despedida das professoras - Aqui o Japão, depois do término das aulas, há um dia de despedida dos professores que sairão para lecionar em outra escola. Fomos no youchien nos despedir da professora da Nicole, que teve muita paciência e colaborou muito para o desenvolvimento dela nesse ano que passou.

5. Primavera - Finalmente parece que o frio está ido embora, apesar desse ano ter insistido e ficado por mais tempo. Já podemos ver em vários lugares as sakuras (flor de cerejeira) desabrochando, deixando a paisagem com um aspecto bem bonito e alegre. Já falamos sobre a sakura nesse link.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Férias escolares aqui do Japão

29.03.17

Postado por Sandra

 

Para quem viveu toda sua vida escolar no Brasil, ter que se acostumar com outro ritmo de férias e início de aulas tem sido um tanto desafiador, junto com tantas outras adaptações que tivemos com a escola daqui.

O início do ano letivo começa agora em abril, na primeira ou segunda semana. Para isso, as aulas terminam no fim de março. A Nicole terminou um pouco antes, e ela está tendo um pouco mais de férias, pois ela passará da Educação Infantil para o primeiro ano do Fundamental. Aqui é uma grande mudança para os pequenos, pois começam a ir sozinhos para a escola e ter lições de casa. Esse começo das aulas coincide com o florescer das sakuras, então todo desenho (anime), mangá ou qualquer outra história que fala sobre o início escolar, alunos, professores, tem como pano de fundo esse lindo cenário.

férias escolares

Aqui há 3 períodos de férias escolares:

- No fim de dezembro e começo de janeiro, no inverno, chamado de 冬休み (Fuyu Yasumi), que dura umas duas semanas.

- No fim de março e começo de abril, na primavera, chamado de 春休み (Haru Yasumi), também com duração de duas semanas.

- Na segunda quinzena de julho e todo o mês de agosto, no verão, as férias mais longas, chamado de 夏休み (Natsu Yasumi), que dura uns 40 dias no total.

Um ponto bem interessante é que os alunos tem que ter a idade correta para entrar no primeiro ano. Eles têm que ter 6 anos completos, ou seja, só quem faz aniversário até março entrará no primeiro ano em abril. A Nicole faz no fim de fevereiro, e ela tem muitos amiguinhos com somente 2 ou 3 meses de diferença, mas que entrarão só no ano que vem.

E não pensem que as férias representam somente períodos de descanso e entretenimento, aqui as crianças sempre têm muitas atividades e lições para fazer nesse período. Porém mesmo assim arrumam momentos para brincar e se divertir nos parques. Temos muitos planos para esses dias e esperamos poder ter um bom tempo com as meninas, dar aquela tomada de fôlego e iniciar o próximo ano letivo com toda força!

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Formatura – 卒園式

15.03.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

No post passado (link) falamos sobre o fim da etapa da escolinha da Nini e hoje tivemos a tão aguardada cerimônia de formatura, o Sotsuenshiki. E até agora, como havia dito anteriormente, ainda me impressiona toda a formalidade incluída em um evento que para nós brasileiros é como uma festa de encerramento escolar. E foi algo talvez mais organizado e formal do que foram as nossas formaturas da faculdade, por exemplo.

Vamos tentar descrever um pouco de como é a cerimônia. Para começar a entender a importância do evento aqui, as crianças vem treinando e fazendo ensaios há alguns meses, não apenas das músicas mas também de toda a ordem e da postura que devem ter em cada momento.

Os pais devem ir de roupas sociais e a tradição pede que sejam escuras para a cerimônia de encerramento e mais claras para o início das aulas. A cerimônia começa pontualmente, como tudo por aqui, com palavras de boas vindas e com as crianças cantando o hino da escola. Sim, a escolinha infantil tem um hino! Então iniciou-se várias apresentações e cumprimentos. Longos discursos, pelo menos para as impacientes crianças assistindo, falando sobre como foi o ano, parabenizando os alunos com palavras de ânimo para a próxima fase.

Depois as crianças foram chamadas uma a uma pelo nome e receberam um diploma e disseram algo que havia sido divertido nesse tempo. Após esse momento, as classes das crianças mais novas cantaram algumas canções e depois os próprios formandos. A cerimônia no salão principal se encerrou e as crianças e os pais foram para as respectivas classes onde tivemos uma despedida da professora e também dos membros da associação de pais e mestres, o PTA, da qual eu fazia parte. Fui pego meio de surpresa: usando um japonês bem simples, consegui agradecer por esse tempo onde aprendi muito com todos eles.

O interessante é que um ambiente formal assim no Brasil dificilmente seria considerado emocionante mas aqui é bastante. Os japoneses de forma geral são bem reservados, principalmente com relação a demonstrar emoções, mas chegamos à conclusão que nesses eventos eles soltam tudo de uma vez: podia se ver quase todas as mães chorando com um lencinho nas mãos.

Em um evento assim era de se esperar que a impaciente e hiperativa Nicole desse algum trabalho, até porque os ensaios foram bem difíceis nesse sentido. Mas fomos mais uma vez surpreendidos pela pequena que fez tudo muito bem.

Apesar de ser algo bem novo para nós participar ativamente disso me fez compreender bem todo o sentimento e esforço envolvidos e confesso que também me emocionei. Fizemos amigos ali, adultos e pequenos que espero ter para sempre. Então mesmo sendo “apenas” uma formatura de uma escolinha infantil posso afirmar com certeza que foi um momento inesquecível para nós.

sotsuenshiki nicole

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

Jardim de Infância chegando ao fim

8.03.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

A Nicole está entrando nos últimos dias de aulas no youchien (jardim de infância) e isso traz muitos sentimentos para nós. O começo dessa jornada foi bem difícil, ver ela sofrer por não entender os amigos ou a professora, não conseguir pedir coisas básicas como beber água ou ir ao banheiro não foram situações fáceis de suportar. É muito duro ver seu filho sofrer e não poder fazer nada. Na verdade às vezes até podemos interferir, mas não devemos, pois algumas lutas e sofrimentos são importantes para o desenvolvimento deles. E é exatamente o que aconteceu com ela.

Passados dois anos, hoje a Nini está praticamente fluente em japonês, sem perder o português, com muitas amizades e até mesmo ajudando em tarefas da sala de aula com a professora. A escola deu um suporte incrível para a Nicole, apesar de suas dificuldades com a língua e da hiperatividade, sendo sempre muito atenciosos, cuidadosos e especialmente compreensivos com nossa dificuldade no entendimento do japonês.

Esse último ano em particular foi bem desafiador para mim, pois estava como membro do PTA (Associação de Pais e Mestres) e participando de muitas atividades e reuniões apesar de não entender tudo completamente, foi muito recompensador. Fiz muitos pequenos amigos e fiquei bem popular com eles. Afinal não é muito comum um pai que brinca de correr, de mágica, de luta com as crianças. Quando apareço na escola sempre ganho vários cumprimentos e até alguns abraços! Também aprofundamos nossas amizades com outras mães e aos poucos vamos entendendo cada vez melhor como agem e pensam os japoneses. Fizemos festinhas, almoços, ganhamos e demos presentes.

Em alguns dias teremos a formatura e confesso que achava estranho tanta formalidade, pompa e emoção por conta de uma formatura de jardim da infância. Vivenciando esse momento, agora entendo melhor porque é um evento tão importante para os japoneses, tudo que ele representa e a grande mudança que significa. Esse período culmina com o fim do inverno e início da primavera quando logo mais teremos o florescer das sakuras, o que torna tudo ainda mais emocionante e profundo.

Afinal, em abril todos eles estarão iniciando suas aulas na escola fundamental, onde já começarão a ir sozinhos para a escola, ajudar na limpeza, aprender a ler e escrever. Uma mudança e tanto para os filhos e os pais também.

Despedimo-nos desses momentos com alegria por ver o quanto a Nicole se desenvolveu e tudo que foi conquistado, também com um pouco de tristeza de já não mais encontrar diariamente os amigos que fizemos. Esperamos muito poder manter contato com eles mas a maioria vai para escolas diferentes e sabemos que já não será tão fácil encontrá-los. Reconheço que não ouvir mais me chamarem de “Nicorechan no papa” (papai da Nicole) me marejou os olhos. Mas ao mesmo tempo nosso coração se enche de alegria e animação pelo que está por vir.

 

nini youchien

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus