Eu X Cozinha

28.10.15

Postado por Sandra

 

Não vou negar: passar quase duas horas diárias na cozinha é algo muito difícil para mim. No Brasil não tinha essa rotina, pois ficava praticamente todo o dia fora de casa e já voltava com a marmita quentinha da D. Haruko, minha mãe (deixo aqui meus eternos agradecimentos a ela por isso!).

A Vitória e Nicole almoçam na escola e por isso muitas vezes eu e o Rodolfo comemos o ˝restodontê˝ (o que restou da refeição anterior), mas à noite, como todos comemos juntos, passar pelo menos uma hora cozinhando é inevitável. Coloquei até uma frase de incentivo próxima ao meu fogão, dizendo ˝Enjoy Cooking Time˝ (algo como ˝Aproveite o tempo de cozinhar˝), para eu não desanimar nessa árdua tarefa diária… rs!

 

euXcozinha

 

Já falei como está sendo nossa alimentação neste post, e temos nos alimentado muito bem. Aqui há uma grande variedade de comidas saudáveis e, além disso tudo, gostamos muito do paladar japonês.

Mas tenho descoberto que cozinhar não é algo tão terrível assim! Até me surpreendo, porque quase todas as receitas que eu me disponho a fazer dá certo. Vejo muitos vídeos na internet e isso me ajuda bastante. Só adapto alguns ingredientes, pois aqui nem sempre encontro os mesmos que existem no Brasil.

Fico sempre atenta quando vejo meus amigos cozinhando, perguntando qual é o tempero, o modo de como eles cozinham e tenho aprendido muito. Tem alguns temperos que se repetem em quase todas as comidas japonesas: shoyu (molho de soja), mirin, sakê, óleo de gergelim e tempero em pó de peixe.

Todo o tempo que temos passado aqui (já passam de dez meses) talvez a melhor palavra que define esse tempo aqui seja ˝superação˝. Superação por estarmos aguentando tanto tempo longe da nossa família, dos nossos amigos-quase-irmãos, superação por enfrentarmos a dificuldade da língua, superação na adaptação e com certeza, a minha superação na cozinha! Por isso digo que Deus tem nos ajudado sempre nos detalhes que precisamos, sem faltar qualquer coisa. E isso é um motivo de agradecimento diário.

Vou deixar aqui três receitas que tenho feito bastante: a torre de beringela, o bolo de ˝nada˝ e o misoshiru. As duas primeiras receitas são do Panelaterapia, adoro este site pois tem receitas simples que ficam muito gostosas, e muitas delas têm vídeo do passo-a-passo. A do misoshiru é o Made in Jpn. Fica aqui a minha dica: nunca é tarde para começar a fazer algo e não desista perante alguma dificuldade, persista sempre!

Clique aqui e veja as receitas:

- Torre de beringela

- Bolo de ˝nada˝

- Misoshiru

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 5

Comida japonesa

11.03.15

Postado por Sandra

 

Nesse post explicarei como tem sido nossa alimentação aqui no Japão.

No Brasil, não costumava cozinhar muito, era uma atividade mais de fim de semana, mesmo porque minha mãe me ajudava grandemente no dia a dia. Mas agora tudo mudou: cozinho agora todos os dias e tenho aprendido muitas coisas! É claro que nunca serei uma chef, mas a descoberta de como fazer coisas gostosas tem sido bem interessante. Uso muito a internet para descobrir algumas receitas para fazer por aqui (o YouTube é tudo!), com algumas adaptações de ingredientes.

Todos da família já gostávamos e estávamos muito acostumados com a comida japonesa: sushi, sashimi, misoshiru, oniguiri, tofu, kanikama, karê, udon, lamen, kara ague, então com a mudança de paladar não estamos sofrendo.

comida japonesa

Os japoneses gostam de inserir em seus cardápios muitas verduras e o preço têm me impressionado, pois têm coisas bem baratas. Moramos a uns 7 minutos a pé de um supermercado que é um tipo de atacadista de congelados, com os preços bem em conta. Para se ter ideia, um potinho de um tofu delicioso e macio custa ¥28 (aproximadamente R$ 0,70) e um pacote de moyashi, o broto de feijão, custa menos de R$ 0,50! Resumindo, temos comido bastante tofu e moyashi! O leite não é UHT, vale por mais ou menos uma semana, aí temos que repor sempre. No Brasil comprávamos 3 dúzias de caixinhas de leite na compra do mês. O interessante é que o leite desnatado custa uns 70% do integral.

Por outro lado, as frutas são caras: 4 bananas custam ¥198 (R$ 4,90) e cada maçã custa ¥98 (R$ 2,40). A Vitória e a Nicole estão sentindo falta das mangas em abundância, uvas, ameixas, goiabas…

A carne é cara, mas se comparada ao Brasil, acaba ficando mais ou menos o mesmo preço.

Para se comer fora, temos nos impressionado que aqui é mais barato que São Paulo. Há muito tempo tentávamos evitar comer fora no Brasil, porque a família com quatro pessoas o gasto era bem alto! Aqui gastamos uns 30% a menos. Até o McDonalds é mais barato. Tem bastante opção saudável, como o lámen cheio de verduras e tudo é uma delícia! E tem uma coisa bem bacana: se não quisermos pedir a bebida, sempre há na praça de alimentação água geladinha à vontade. Isso também ajuda na economia.

Os doces são maravilhosos! Eu não gosto de nada muito doce, e no Japão é tudo mais suave e bem macio. Será que vou ganhar alguns quilos por causa disso?

Se temos sentido falta de algum alimento do Brasil? Feijão (encontramos em algumas lojas brasileiras), alguns tipos de queijos (temos comido bastante aqueles queijos processados), requeijão… mas nada que estamos sofrendo muito! Tá certo que um pastelzinho de feira com garapa é algo que vai para sempre nos dar água na boca… rs!

A culinária japonesa foi eleita como Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade pela UNESCO. Ou seja, estamos comendo bem, saudável e mais barato!

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 4

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus