Guerra?

17.05.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

guerra

No últimos meses, muitos amigos têm se preocupado conosco e perguntado sobre a situação com a Coreia do Norte. Por isso gostaríamos de contar um pouco sobre isso.

Primeira coisa que gostaria de destacar que essa situação é algo inédito para nós, visto que o Brasil tem boas relações diplomáticas com seus vizinhos e nosso único ponto crítico é com a Argentina, no entanto apenas em questões de futebol!

A tensão tem aumentado e a China tem começado a se posicionar contra Kim Jong-un. As ameaças do regime norte-coreano ao Japão vêm de longa data e muitos mísseis já foram lançados em direção ao Japão, contudo sem nunca representar perigo real. É notável o desenvolvimento dos mísseis e do programa nuclear norte-coreano, motivo principal da preocupação atual, mas ninguém sabe ao certo em que ponto ele se encontra. A verdade é que dificilmente eles conseguiriam passar pelos modernos sistemas defesa anti-aéreas do Japão a ponto de realmente causar algum estrago.

De qualquer forma, o governo japonês tem orientado a população sobre como proceder em caso de ataque, entretanto isso não significa necessariamente que ele irá acontecer, e mesmo que aconteça, que será efetivo. O Japão é conhecido pela sua obsessão com segurança e prevenção. Manuais de sobrevivência a catástrofes são comuns por aqui.

Na prática, nada tem mudado no dia a dia e, por morarmos relativamente perto de algumas bases militares, a única coisa que notamos foi uma maior movimentação dos militares, mas nada sério ou preocupante.

Apesar de uma iminência de guerra, o Japão ainda continua sendo um país muito seguro. Dissemos sempre aos nossos amigos e familiares que a nossa preocupação é com eles no Brasil, onde uma guerra velada tira a vida de dezenas de milhares de pessoas todos os anos por causa da criminalidade, mortas através de armas de fogo.

Infelizmente às vezes vemos pessoas torcendo para que a guerra aconteça e o regime de Kim Jong-un caia, sem se lembrarem das vidas de pessoas que residem na península coreana que serão perdidas nesse processo.

Por isso nossa oração é para que a paz possa vencer sempre, seja na Coreia do Norte ou nas periferias do nosso Brasil.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Formatura – 卒園式

15.03.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

No post passado (link) falamos sobre o fim da etapa da escolinha da Nini e hoje tivemos a tão aguardada cerimônia de formatura, o Sotsuenshiki. E até agora, como havia dito anteriormente, ainda me impressiona toda a formalidade incluída em um evento que para nós brasileiros é como uma festa de encerramento escolar. E foi algo talvez mais organizado e formal do que foram as nossas formaturas da faculdade, por exemplo.

Vamos tentar descrever um pouco de como é a cerimônia. Para começar a entender a importância do evento aqui, as crianças vem treinando e fazendo ensaios há alguns meses, não apenas das músicas mas também de toda a ordem e da postura que devem ter em cada momento.

Os pais devem ir de roupas sociais e a tradição pede que sejam escuras para a cerimônia de encerramento e mais claras para o início das aulas. A cerimônia começa pontualmente, como tudo por aqui, com palavras de boas vindas e com as crianças cantando o hino da escola. Sim, a escolinha infantil tem um hino! Então iniciou-se várias apresentações e cumprimentos. Longos discursos, pelo menos para as impacientes crianças assistindo, falando sobre como foi o ano, parabenizando os alunos com palavras de ânimo para a próxima fase.

Depois as crianças foram chamadas uma a uma pelo nome e receberam um diploma e disseram algo que havia sido divertido nesse tempo. Após esse momento, as classes das crianças mais novas cantaram algumas canções e depois os próprios formandos. A cerimônia no salão principal se encerrou e as crianças e os pais foram para as respectivas classes onde tivemos uma despedida da professora e também dos membros da associação de pais e mestres, o PTA, da qual eu fazia parte. Fui pego meio de surpresa: usando um japonês bem simples, consegui agradecer por esse tempo onde aprendi muito com todos eles.

O interessante é que um ambiente formal assim no Brasil dificilmente seria considerado emocionante mas aqui é bastante. Os japoneses de forma geral são bem reservados, principalmente com relação a demonstrar emoções, mas chegamos à conclusão que nesses eventos eles soltam tudo de uma vez: podia se ver quase todas as mães chorando com um lencinho nas mãos.

Em um evento assim era de se esperar que a impaciente e hiperativa Nicole desse algum trabalho, até porque os ensaios foram bem difíceis nesse sentido. Mas fomos mais uma vez surpreendidos pela pequena que fez tudo muito bem.

Apesar de ser algo bem novo para nós participar ativamente disso me fez compreender bem todo o sentimento e esforço envolvidos e confesso que também me emocionei. Fizemos amigos ali, adultos e pequenos que espero ter para sempre. Então mesmo sendo “apenas” uma formatura de uma escolinha infantil posso afirmar com certeza que foi um momento inesquecível para nós.

sotsuenshiki nicole

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 2

[Vídeo] Janeiro 2017

8.02.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

Fizemos mais um pequeno vídeo sobre como estamos aqui que passou na IMeL Diadema no fim do mês passado. Um vídeo rápido e simples mostrando um pouco de como estamos aqui depois de 2 anos de Japão, pois como diz o ditado: uma imagem vale mais do que mil palavras.

 

vídeo 2 anos

Clique na imagem acima para assistir

P.S. Para as igrejas que nos seguem aqui no blog, fiquem a vontade para passar o vídeo se quiserem.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 4

Janeiro em 5 fotos

1.02.17

Postado por Sandra

 

 

janeiro 2017 em 5 fotos

Acompanhe um pouco do que aconteceu no mês de janeiro através de 5 fotos!

1. Monte Fuji – Na volta de Hamamatsu, onde passamos a virada do ano com a família (link), ainda não estava noite e conseguimos ver um pouco do Monte Fuji. Em diversos lugares na estrada dava para ver o Monte grande e imponente, que impressiona a todos, sendo turista ou não.

2. Visita da Geovana – A irmã do Rodolfo, a Geovana, veio visitar a Malásia e ˝deu um pulo˝ aqui no Japão para nos visitar. Foram somente 5 dias, mas já deu para matarmos as saudades. No dia da foto tínhamos ido a um onsen (piscina de águas termais) e foi muito divertido.

3. Nicole – aula de decoração de porcelana – No youchien há alguns eventos nos quais os pais participam. Um dia aprendemos a fazer decoração em canecas de porcelana, deu para soltar a criatividade e as crianças e as mães aproveitaram bastante.

4. Vitória – apresentação na escola – Esse evento, ocorrido em um sábado, celebrou a metade da vida escolar das crianças, e todas disseram qual era o sonho de cada uma, junto com uma apresentação musical. O sonho da Vitória é ser uma ˝fashion designer˝, ファッション デザイナー, ou seja uma estilista de moda. Que os seus sonhos se realizem, filha!

5. IMeL Chiba – Fizemos um planejamento para esse ano com o local novo e estamos bem animados. Muitos eventos, encontros, almoços e esperamos que consigamos convidar nossos amigos japoneses. Orem para que esses planos estejam debaixo da vontade de Deus!

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

Visita da IMeL Takefu

25.01.17

Postado por Rodolfo Veronese

 

Esse final de semana tivemos a visita do Pr. Carlos da IMeL Takefu, sua esposa Taeko, sua filha Satyan e também o Serginho, um dos líderes da igreja. Mesmo pegando neve na estrada em uma longa viagem, afinal são mais ou menos 540km até aqui em Chiba, eles puderam chegar bem e nos abençoar com sua presença e excelentes notícias do trabalho lá. Um tempo rápido mas muito bom de matar a saudade e colocar as conversas em dia.

 

imel takefu

 

A IMeL Takefu tem feito um trabalho social muito legal na cidade onde está localizada servindo e ajudando em hospitais, eventos culturais e da comunidade do bairro, e especialmente ajudando na integração de brasileiros residentes lá. Trabalho esse que tem sido reconhecido e elogiado pelo coordenador do bairro e até mesmo pelo prefeito. Isso não é algo que surgiu de agora, é um trabalho de longo prazo que vem sendo plantado ao longo de 7 anos de trabalho ali, onde, no início, até mesmo alugar um salão público era difícil para um grupo de estrangeiros cristãos.

Tivemos um culto muito bom, com a ajuda do Serginho no louvor e uma e palavra inspiradora do Pr. Carlos e depois um delicioso almoço com todos.

Louvamos a Deus pela presença deles e agradecemos o carinho e preocupação conosco.

 

 

compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail to someone
comente 0

DESIGN: Sandra H. V. • programação: webonfocus